5 coisas que aprendi em 5 dias no Rio de Janeiro

abr 25

5 coisas que aprendi em 5 dias no Rio de Janeiro

1 –  As mulheres são bonitas, gostosas e sensuais. Aceita que dói menos. 

O choro é livre, mulherada. Mas a verdade é que as cariocas mandam beijinho no ombro para o resto do Brasil e do mundo. São abençoadas por Deus e bonitas por Natureza. E ouradas do sol. E sarada de tanto caminhar, correr, nadar, surfar, jogar futevôlei, andar de patins, bike e skate… Num primeiro momento, é difícil aceitar sem bater aquela invejinha típica de mulher. Mas depois… Torna-se uma inspiração ver como a real beleza feminina é natural. Obrigada, mulheres cariocas: vcs ensinam as mulheres do mundo a acharem outras mulheres bonitas!

mulherRJ

 

 

2 – A música do Rio é o funk. E se chorar, vai ter mais pancadão. 

Não que o samba não faça até gringo rebolar. Não que a Bossa Nova não seja a história das calçadas desenhada de Copacabana. Não que o pop e o rock não estejam presentes. Mas o funk… Ah, merrrmão, o funk te faz descer até o chão. O funk não tem raça, cor, classe social ou religião. Aquela batida contagia e, quando vc menos percebe, está rebolando o bundão.
Tá, a rima é ruim, mas a verdade é que o Baile Funk é a ‘balada’ do carioca, que mistura toda gente de todo lugar. Não tem preconceito e nem discriminação.

3 – Do que são feitos os homens do Rio?

Eles não são de Deus. Ou será que são? Minha vontade é sair aplaudindo todos eles, como se aplaude o pôr do sol, sabe? Porque, olha… eles são bonitos demais. Quando alguém perguntar aonde é que se escondem os homens bonitos do mundo, vou responder sem pensar: no Rio de Janeiro. E olha que eu morei na Itália, hein… Mas desde o dono da barraca da praia, passando pelos playboys das baladas, incluindo o motorista de táxi… É homem bonito demais da conta!

 

Foto: Google Images

 

4 – Carioca sabe viver, mas trabalhar…

Olha, pode até ser pensamento clichê de paulistano coxinha. Mas isso nunca se mostrou tão real para mim quanto nos últimos dias. Passei quatro dias de feriado curtindo, a cada minuto, os presentes que o RJ me dava: festas, sol, praia, calor, energias positiva,s belezas naturais, homens de tirar o fôlego… E aí, em seguida, tive um dia de trabalho. Numa quarta-feira, entre dois feriados. E foi difícil. Não fui atendida por quem havia agendado a reunião e o ritmo é devagar quase parando. Aquilo que eu faria em uma hora em SP, levei uma manhã para fazer no Rio. A sensação é que a noção de aproveitar o tempo entre as duas cidades é completamente diferente.
Isso sem contar o serviço de atendimento, que no Rio tem toda uma peculiaridade num padrão que seria considerado muito ruim em SP. Mas, no fim, eles têm a noção de que o Rio será sempre o Rio e que as pessoas não vão deixar de visitar a cidade porque foram bem ou mal atendidas. Elas vão sempre voltar.

 

ze carioca

 

5 – A vida sem filtro é ainda mais bonita

Se tem uma coisa que o Rio de Janeiro ensina pro mundo, é que a vida é bonita para caramba sem filtro. E para enxergá-la, basta apenas abrir os olhos. O Rio é uma lição de que a vida é um presente para todos nós e não precisa de muito para perceber isso, não. Um pôr-do-sol, um mergulho no mar, uma caminhada na praia. Aquela água de coco fresquinha depois da corrida, o funk contagiando o baile todo, a música de Tom e Vinicius amaciando o coração. A risada com os amigos, a comida saborosa, a cerveja gelada. A praia com a galera, o samba no pé do morro, a energia positiva que nos envolve.
São as pequenas coisas do Rio de Janeiro que nos lembra que a vida tá lá para ser abraçada pelo Cristo e por cada um de nós.

RJ5

 

Talita Camargo, 29 anos, é jornalista e está sempre conectada. Apaixonada por livros e cinema, vive para viajar o mundo e adora carboidratos. Libriana, sofre com o conflito da dúvida e busca o equilíbrio. Acredita no amor sincero e, para ela, pensamentos positivos atraem coisas positivas. Sempre!
Share Button

One comment

  1. Adriana /

    Saudades das suas verdades Tali. Mas me diz uma coisa, existe carboidrato no Rio??kkkk…..gente, eu acho que precisaria de muita terapia para saber lidar com tanta gente bonita.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*