Amar é de graça

abr 23

Amar é de graça

Eu tive um ídolo. Pode parecer pouco. Talvez seja. Acho que é mesmo. Mas, sim, eu tive um ídolo. Eu não o conheci pessoalmente. Mas, eu me sentia tão próxima, tão íntima, que semana passada, ao ler sobre seu falecimento, fui tomada por um vazio como se minha vida, a partir daquele momento, fosse mudar completamente.

Na prática, tudo continua igual. Afinal, ele morava em outro país, estava idoso e doente. Mal fazia aparições públicas, sua obra já estava completa. Mas, e daí? Onde fica a razão quando mexemos com a emoção?

“Ah, mas o Gabriel García Márquez nem sabia da sua existência, Fernanda”, vocês podem dizer. Não, ele realmente nem imaginava que aqui no Brasil uma jovem escolheu se aventurar pelas letras, palavras e textos por pura influência dele. E isso muda meus sentimentos? Jamais.

blog

Sabe quando seu time perde uma final de campeonato e você está puto da vida, com vontade de bater a cabeça na parede e chorar? Então, sua mãe aparece querendo te consolar e solta a célebre frase: “Mas, o que vai mudar na sua vida essa derrota do Corinthians?”. Absolutamente nada. Mas, quem se importa? Eu amo aquele clube e quero que ele vença sempre, mesmo que eu não leve vantagem nenhuma nisso.

O que eu estou querendo dizer é que quando gente gosta de verdade de alguém ou de algo a gente só deseja o melhor. Isso independente se o sentimento é recíproco ou se estamos ganhando alguma coisa em troca.

A gente ama de graça. A gente ama pelo que aquela pessoa representa. A gente ama pelas emoções que ela nos desperta. E não tem lógica nenhuma nisso.

Neste momento, eu me sinto órfã. Perdi meu ídolo. Sim, eu tive um ídolo. E ele foi o maior de todos.

“É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver.”

Gabriel García Márquez

 

Fernanda Barreira, 28 anos, é jornalista, paulistana da gema, solteira e corintiana roxa. É conhecida por ser do contra e intolerante, mas promete respirar 327 vezes antes de escrever algo que de algum modo incomode alguém… ou não. É pagar pra ver!
Share Button

8 comments

  1. Adriana /

    Oinnn Fer, que linda! Como é bom ter um ídolo..seja encarnado ou desencarnado. Continue amando de graça. E olha só, você pode ser a “idala” de muita gente e também nem sabe disso. <3

    • Fernanda Barreira /

      Obrigada, Dri! É importante mesmo ter alguém para admirar e amar de graça. Não sei se sou ídola de alguém, mas certamente sou sua fã <3

    • Fernanda Barreira /

      Muito obrigada, Néa! Que bom que você gostou 🙂

  2. Talita Camargo /

    O post mais bonito do mundo! Fernandinha escreveu com o coração! <3

    • Fernanda Barreira /

      Owwwwwn, obrigada Tali! Escrevi com o coração mesmo. E cada vez que revejo a foto dele ou releio sua frase sinto uma enorme saudade de quem nem cheguei a conhecer…

  3. Érica Baffi /

    Amei! Me emocionei e muito! Arrasou Fê!

    • Fernanda Barreira /

      Obrigada, Érica! Fico muito feliz que você tenha gostado 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*