A arte do garimpo

jul 02

A arte do garimpo

Muito tem se falado sobre a dificuldade das pessoas de encontrarem um grande amor. Uns dizem que os homens não estão preparados para as novas mulheres independentes. Outros garantem que é a chatice delas a responsável por tanta solidão. Eu sou contra esses estereótipos todos: caras que pararam no tempo, moças revolucionárias, rapazes covardes, donzelas reclamonas. Sério que as pessoas ainda hoje acreditam em fórmulas mágicas? Ou num mundo onde as regras e a razão falam mais alto que os sentimentos e o coração?

Chega de extremos. Um homem pode sim se apaixonar por uma mulher que trabalha fora, vai à academia, come miojo, deixa roupas espalhadas pelo chão, é dona do seu nariz e corre atrás dos seus sonhos. Por outro lado, não me venham com esse papinho de que homens e mulheres são iguais. Existe muito preconceito sim. E grande parte deles se intimida com a força delas. Mas, ainda bem, as exceções estão aí pra quebrar a nossa cara desde que o mundo é mundo.

O que eu acho é que as pessoas estão mais egoístas (bad) e exigentes (good). “Não é qualquer Zé Mané que aparece e eu dou trela”. “Eu gosto dela, mas não quero abrir mão das minhas vontades por ninguém”. E, na boa, cada um sabe o que te faz feliz. E, apesar de eu adorar um julgamento, pô, é direito, pra não dizer dever, de todo mundo correr atrás da felicidade.

procura-se-um-amor

Então é isso? Acabou o romance? O amor? Os relacionamentos?

Nãooooo, nada disso seus dramáticos.Agora a questão é saber e ter paciência no garimpo.

 

Sabe quando uma loja entra naquela super liquidação e você precisa mergulhar por horas no meio de verdadeiras tralhas, peças horrorosas, sem qualidade, até achar uma, uminha que preste e valha a pena levar por aquela pechincha? Resumindo, é isso. Você tem que procurar muito, se decepcionar com modelitos errados, até achar a roupa ideal. E se prepare, porque a probabilidade daquilo que você procura estar lááááá embaixo daquela montanha de tranqueiras é enorme e será bem difícil encontrar.

Difícil, porém não impossível. E é nisso que é preciso acreditar.

Trabalhe no mantra da paciência e não desista. Uma hora aquele(a) que você tanto espera pode aparecer… ou não.

OBS: Esse texto foi escrito por uma garota solteira, sem muita sorte/competência no quesito relacionamento. Ou seja, ignore, assim como todos esses outros manuais, e seja feliz!

 

Fernanda Barreira, 28 anos, é jornalista, paulistana da gema, solteira e corintiana roxa. É conhecida por ser do contra e intolerante, mas promete respirar 327 vezes antes de escrever algo que de algum modo incomode alguém… ou não. É pagar pra ver!
Share Button

One comment

  1. Katya /

    Sensacional!!!!
    Adorei Fe! Mas discordo totalmente daquela “obs” ali…. Rsrs
    Bjuuu

Trackbacks/Pingbacks

  1. Minhas férias - Sem Critérios | Sem Critérios - […] A arte do garimpo […]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*