Não me leve a mal, mas e daí que é Carnaval?

fev 26

Não me leve a mal, mas e daí que é Carnaval?

Eu adoro Carnaval e toda essa brasilidade que a data traz. Festa, feriado, bebedeira, alegria o dia inteiro. É quase um crime não se divertir nesses únicos cinco dias do ano em que tudo é permitido. Afinal, é Carnaval! Mas nem todos os anos estou afim de curtir essa zona: dormir pouco, beber demais, cair na folia, gastar uma grana, fazer xixi em banheiro público, fazer bobagem e ter a ressaca moral, ficar horas no trânsito das estradas paradas ou no caos aéreo… Não, definitivamente, 2014 é meu ano do não-Carnaval. Sei que, para muitos que estão lendo este texto, ainda estamos no terceiro parágrafo e já estou sendo julgada. Tudo bem, quem não gosta de julgar o próximo, não é mesmo? O que importa é que, este ano resolvi me dar uma experiência nova, arrumar as malas e ir para longe da folia. Já fiz isso no Reveillon e, embora sinta falta dessa energia positiva brasileira, estou certa de que, ficar por aqui, vai me deixar mais depressiva do que animada, justamente porque ser feliz no Carnaval é quase uma obrigação moral de todo bom brasileiro. Minhas opções poderiam ser ir para o Rio de Janeiro e me juntar com 95% da população de São Paulo, incluindo aqueles que não faço questão alguma de encontrar na vida. Poderia, também, ir para Salvador e curtir a energia do axé baiano, mas ficaria pobre porque a brincadeira tá custando mais de R$ 10.000,00 e vai ter gente demais daqui por lá e, vamos ser sinceros: não preciso gastar todo esse dinheiro para sair beijando na boca de quem não vale nem um centavo. Sem contar que, graças a Deus, vivi muito bem esses 28 anos e já fui para esses lugares e tantos outros que as amigas recém-solteiras querem me arrastar: Carnavotu(poranga): já fui.  Diamantina, no interior de Minas: já fui. Carnaval de rua no interior de SP: já fui. Carnavio, num cruzeiro: já fui. A zona do litoral de SP: já fui. Já fui, já fui e já fui. Para alguns desses lugares, quem sabe um dia eu até volte. E, de todos, as lembranças são as melhores. De vários, fiz amigos, voltei apaixonada e fui muito feliz. Mas eram...

Read More