Vida e morte que seguem

jul 17

Vida e morte que seguem

Engraçada (e cruel) essa vida. No meu último post aqui do blog escrevi que nossa sociedade precisava falar mais abertamente sobre morte. E não é que volto hoje aqui para falar justamente sobre isso??? Volto doída, arrasada, triste – mas em paz – para falar sobre a morte prematura (para mim prematura DEMAIS) do meu primeiro homem, do meu herói, do meu pai, aos 63 anos de idade. Ele gostava de tocar violão e cantar, gostava de andar de moto e triciclo, amava os animais e me ensinou o mesmo, era apaixonado pela minha mãe, louco pelas filhas, um amigo para todas as horas e, sem dúvida, o que mais ele amava era VIVER. Me lembro só de flashes de chegar ao hospital aonde ele estava internado, visitá-lo na UTI, contar uma piada sobre o netinho dele (cachorro), vê-lo sorrir, dar um beijo na testa dele e desejar uma boa cirurgia. Depois de poucas horas nos chamaram na UTI para dizer que ele havia falecido. Lembro de querer morrer com ele, não por não querer mais viver, mas simplesmente para dar-lhe as mãos e dizer que não sentisse medo. Mas olhei para o lado e vi um pequeno par de olhos verdes morrendo junto com ele também, então reuni minhas forças e acolhi minha amada mãe. E ainda faltava minha irmã para completar aquela agonia. Do velório e do enterro, lembro da dor e do amor, principalmente do amor. Quanta gente dando o último “até logo” para o meu pai. Quanto choro verdadeiro. Quanto amor envolvia a todos nós naquele triste momento. Em cada rodinha ouvia-se histórias engraçadas sobre o meu pai, sobre o quanto ele era explosivo e quanto o coração dele era enorme. E a cada história eu sentia mais saudades, mas muito mais orgulho dele. Quantas amigas foram lá para me dar um abraço….quanto amparo eu tive. Mais uma vez MEU CARA foi fundamental em tudo…..sem comentários, só agradecimentos para ele. Ele se foi e nós ficamos. Ficamos sem entender o que realmente aconteceu (dizem que a pedra no rim infeccionou, isso evoluiu para uma infecção generalizada e falência dos órgãos). Ficamos indignadas com a precariedade da Santa Casa de Cesário Lange, cuja omissão dos médicos...

Read More

Mãe por 10 semanas

jun 23

Mãe por 10 semanas

Faz um pouco mais de 1 mês que tudo aconteceu. Já voltei a trabalhar e a vida segue normal, com um buraquinho no coração que jamais vai fechar. Não sei se seria menino ou menina, mas para ambos já havíamos escolhido o nome. Não foi planejado, mas nem por isso deixou de ser desejado e amado. Vida e morte que seguem, porque é disso que se trata estar aqui, vivendo na Terra. Sempre ouvi dizer que as probabilidades de uma mulher engravidar do primeiro filho após os 35 anos é reduzida e que pode levar em média 1 ano. Eu – que tomo anticoncepcional há pelo menos 15 anos – não imaginei que, numa “vacilada”, engravidaria. O corpo mudou, um certo inchaço apareceu, até que minha amiga Vanessinha olhou pra minha cara e disse: Você está gravida! Eu e o Igor (O Cara) nos olhamos pensando: “Não, acho que não, mas por via das dúvidas vamos fazer o teste de farmácia”. Teste de farmácia feito: Positivo. Segundo teste de farmácia feito: MegaPositivo. Teste de sangue feito: Gravidíssima. Mas, após aquele primeiro choque (e meu agradecimento à Deus por eu ter convênio médico nesse momento) mal deu tempo de ficarmos felizes e a gineco já alertou que meus hormônios estavam baixos demais e que ela acreditava que a gravidez não iria para frente. O jeito era aguardar….palavrinha desgraçada para quem sofre de Transtorno de Ansiedade. Aliás, assim que descobri a gravidez parei com meus remédios, sob orientação médica, e digo que tive uma crise de abstinência absurda. Mas eu era mãe e tinha que aguentar. E aguentei com o coração cheio de amor, fé, insônia e mal-estar. Primeiro ultrassom e nada do coração. Segundo ultrassom e lá estavam os batimentos cardíacos. Disse a médica: pode ir para casa comemorar o Dia das Mães. Fomos. Compramos dois pares de sapatinhos para contar a grande surpresa para os nossos pais. Mas os hormônios não estavam evoluindo ainda como o esperado e no fundo sabíamos que havia algo errado. Guardamos os sapatinhos e contamos aos nossos pais que talvez seriam avós. Que noticia feliz-triste de se dar. Na noite antes do terceiro ultrassom sonhei que perdia o bebê. Acordei pela manhã e todos...

Read More

Uma vesícula, 11 pedras e kilos de peso nos ombros a menos

out 08

Uma vesícula, 11 pedras e kilos de peso nos ombros a menos

Tirar a vesícula tem seu lado bom…o de ter tempo para pensar durante a recuperação da cirurgia (ah, e também espero que menos dores e enjoos). Essa foi a minha conclusão após a cirurgia que fiz no dia 26/09. Graças a Deus tudo correu bem e a recuperação tem sido melhor do que eu esperava. Foram no total 10 dias de repouso e serão 45 dias sem fazer esforço físico. Fiquei 10 dias em casa, de boa na lagoa, aproveitando para cuidar do meu filho-cão Rudá, que estava com bronqueolíte e não saiu do meu lado o tempo todo. Meu namorado ficou morando em casa para cuidar de mim, já que minha família mora no interiorrrrr. Mas enquanto ele estava no trabalho me vi sozinha, sem poder fazer quase nada e me perguntava: cadê todo mundo que vinha nas festas que eu dava? Cadê aquelas pessoas que curtiram meu status no Facebook? Será que elas não sabem que aquilo lá é o mundo virtual e que as pessoas precisam de pessoas reais. Não que eu quisesse todo mundo no meu quarto, me vendo de cabelo oleoso e pijama zuado, até porque eu amo minha solidão, mas sei lá, me magoei um pouco, achei que as pessoas estão muito frias. Eu sei que as que realmente não podiam ir me ver, se preocuparam à distância, me ligaram ou mandaram mensagens todos os dias…e sou muito grata por isso <3. Minha grande amiga Tia Deise fez sopinha e foi me visitar diariamente, a sempre prestativa Tateana dava seus gritinhos para ver se eu estava bem e a sogra me encheu de frutinhas saudáveis….e isso ajudou na minha recuperação, sem dúvida nenhuma. Mas, como minha Sindrome de Culpa Crônica nunca me abandona, refleti que estou colhendo o que plantei. Em geral, visito meus amigos e familiares muito menos (ou quase nada) do que gostaria, em partes pela correria do dia dia, pelos compromissos no final de semana e por preguiça. Mas, ao mesmo tempo, me senti aliviada, pois estamos todos (ou quase todos) no mesmo barco. Além de 11 pedras e uma vesícula, tirei um enorme peso dos meus ombros ao perceber que eu não sou a única “ocupada” nessa vida e...

Read More

Desapeguei…. e foi bom

abr 11

Desapeguei…. e foi bom

Sempre tive vontade de mudar o cabelo, mas nunca tive coragem…..até o último dia 08 de abril, Dia Mundial do Combate ao Câncer. Pelas redes sociais fiquei sabendo que estava acontecendo uma campanha de doação de cabelo para a confecção de perucas para crianças com câncer. E aí cortei o cabelo curto e doei. Essa história poderia ter apenas esse parágrafo, só que não.   Eu sempre tive cabelo comprido, liso e virgem (aham…virgem com quase 35 anos). Sempre fui “contra” químicas e mudanças radicais. Era extremamente apegada à minha cabeleira porque, modéstia à parte, era bonita. E quando a gente não acha que tem muita coisa bonita para mostrar, acabamos exibindo aquilo que vale a pena. É o meu caso. Lembro que uma vez, quando era adolescente, cortei meu cabelo chanel e escutei de uns meninos que eu tinha acabado com a única coisa bonita que eu tinha. Levei isso à ferro e fogo e mantive o cabelo marrom, liso e longo por muito tempo. Ainda bem que a vida é bela, que o tempo ensina e que as pessoas que hoje fazem parte da minha vida não acham que tenho apenas um cabelo bonito para exibir, pois elas me conhecem por dentro.  E é por isso que nesse momento escrevo esse texto com o cabelo curto, desfiadinho e loiro. E é por isso também que 20cm do meu cabelo já foram encaminhados para a ONG Cabelegria e em breve farão parte de uma linda peruca que ajudará uma menininha com câncer a se sentir MAIS linda ainda. Não foi fácil sentar na cadeira da cabelereira e mandar ver no corte. Na verdade, os próprios funcionários do salão ficaram me questionando como eu ia ter a coragem de cortar o cabelo, sendo que demora tanto para crescer e bla bla bla. Eu apenas disse: “faça um rabinho de cavalo e corte”. Quando a tesoura começou a fazer seu trabalho, eu juro que senti uma pontada no coração, seguida de uma paz que não sei como explicar. Enquanto a navalha fazia a festa nas minhas madeixas, eu estava num relaxamento profundo, sentindo uma energia maravilhosa percorrendo minha alma…e foi nessa hora, e apenas nessa hora, que chorei um choro...

Read More

E o que é o sucesso, afinal?

fev 24

E o que é o sucesso, afinal?

Segunda-feira passada acordei  e tive tempo de bisbilhotar a vida alheia. Todos estavam postando em seus Facebooks sobre o trânsito de São Paulo. Menos eu,  que estava com piriri e meu trajeto se resumia a quarto X banheiro.  Pelo que pude ler, Sampa estava com mais de 300km de trânsito e todos estavam em busca da sobrevivência.  De acordo com as estatísticas facebuquianas, a média de tempo para os meus amigos chegarem ao trabalho foi de 1h30 (sem contar a volta).  Alguns apreensivos, com medo de serem assaltados, outros com saudades dos filhos pequenos que deixaram na escolinha e que quando voltarem do trabalho, já estarão dormindo. E aqui estou falando só da luta diária para chegar ao trabalho, sem nem mencionar o próprio em si. E eu fico só pensando se isso tudo realmente é necessário….ou se nos autoenganamos e, como bons cristãos, acreditamos que temos que nos foder diariamente para que as conquistas se façam valer a pena. E essa pergunta fica muito mais forte para mim, que estou prestes a atingir os 35 anos, sem ter alcançado as metas que fariam de mim uma pessoa de sucesso (leia-se aqui: ter feito mestrado no exterior, comprado meu próprio apartamento, ter me casado e tido filhos).  E o que é o sucesso, afinal?  Será que o sucesso não é dizer NÃO a tudo que esse mundo consumista nos impõe e vivermos com menos bens materiais e mais abraços apertados?  Será que trabalhar em São Paulo é o único modo de prosperar financeiramente….ou será que aqui mais gastamos do que ganhamos?  Será que o sucesso não é uma armadilha que o ego criou para nos escravizar (uiiiiiiiiiii)? Estou começando a acreditar piamente nesse último questionamento. Onde o amor e as melhores lembranças estão sendo construídas?  No iPhone? Pára o mundo que eu quero descer. Não quero que o sucesso custe a nossa vida, a simplicidade, os melhores momentos. Talvez o sucesso seja cozinhar para a família sem reclamar que vai estragar a unha. Ou passar o Natal com quem amamos sem mimimi. Ficar uma tarde toda rodeada de crianças e enxergar o sucesso na criação do nosso Pai Maior. Chega uma hora na vida que temos que rever nossas...

Read More

A (des)obrigação de ser magra

fev 06

A (des)obrigação de ser magra

Cada vez mais eu sinto na pele (nesse caso nas gorduras) a cobrança externa pela minha magreza interna.  No último final de semana fui visitar minha vozinha na praia. Ela, no alto de sua bengala e dos 85 anos, me deu uma bela comida de rabo porque estou acima do peso. A Dona Albina é uma das pessoas mais vaidosas que eu conheço e lembro que há alguns anos ela passou por uma cirurgia e, embora quase tenha ido pro saco, ficou feliz pois a barriga diminui. Aliás, no começo de 2013 passei por uns perrengues de saúde e emagreci uns 10 kilos (já recuperei todos e mais alguns) e o comentário que mais escutei foi: nossa, mas pelo menos você emagreceu. PORRA, eu mal pra cacete e as pessoas preocupadas com a minha estética??? Sei lá, essa obrigação de ser magra tem me incomodado muito, não pelo fato de eu não ser, mas por saber que muitos sofrem calados com isso. Quantas vezes eu vou pra praia e nem curto direito porque tem umas gostosas de biquíni esfregando na minha cara que sou uma “loser”.  Sim, estar acima do peso atualmente é um crime, coisa de gente preguiçosa, que não se esforça e, mesmo sem querer, acabamos todos contaminados. Quantas vezes você (ou eu) já deu parabéns para um amigo/familiar por ele ter ficado 1 mês sem falar mal de ninguém? Ou por essa pessoa ter se dedicado a um cachorro de rua? De verdade, eu acho que nunca. Mas com certeza você já bateu palmas e recitou poemas para alguém que emagreceu 3 kilos nesse mesmo período. Não estou desprezando quem se dedica ao peso, pelo contrário, acho um esforço enorme manter-se em forma. O que me questiono é porque valorizamos tanto isso, muitas vezes sem focar na saúde (aqui sim sou 100% a favor de cuidados) ao invés de apreciarmos o ser humano em sua plena existência, em sua totalidade? São tantas lutas internas e externas que travamos todos os dias, que deveríamos ser mais doces e suaves com nossa carcaça, com o corpo que abriga nosso espírito por um tempo limitado. Adriana Santos, 34, é jornalista de formação e fofoqueira de coração. Leonina com muito...

Read More

O que fazer quando se descobre que a grama do vizinho é mais verde

jan 20

O que fazer quando se descobre que a grama do vizinho é mais verde

A gente (eu) tem mania de ficar na janela, comparando a nossa grama com a do vizinho. Fazemos isso em todas as janelas da vida: da família, do coração, do trabalho, da saúde e (sem dúvida) a da aparência. E o pior é que no “celular nosso de cada dia” essas janelas praticamente se jogam nas nossas caras dezenas ou até centenas de vezes ao dia. A família do fulano sempre está mais unida, o corpo da beltrana deixa qualquer mulher de pau duro, a viagem do cicrano é a dos NOSSOS sonhos. Tudo e todos parecem melhores e mais felizes do que nós mesmos na vida real e, sem dúvida, na virtual. Então é o seguinte: antes de começar a cortar os pulsos com as facas Ginsu 2000, verifique se a grama do vizinho não é mais verde simplesmente porque é artificial. Sim, as gramas sintéticas enganam bem, mas não nascem e morrem, não vivem suas diferentes estações, não são aparadas pelos seus donos…são simplesmente pedaços de plástico cumprindo uma função estética (e quantas pessoas não se resumem a isso hoje???). Logo, se a grama do seu vizinho for desse tipo, sua leitura acaba aqui. Feche a janela e seja feliz. Mas, se você confirmar que a grama do vizinho é REALMENTE MAIS VERDE, escancare ainda mais a sua janela e encare a única realidade da vida: nenhuma grama é igual a outra. E que graça teria se todas tivessem a mesma cor? Aprenda mais sobre os 50 tons de verde e cuide para que a sua própria grama fique exatamente na cor que agrada a sua alma. E lembre-se: gramas naturais vivem intensamente as 4 estações do ano. Em momentos estão secas, amareladas e sem vida, para em pouco tempo tornarem-se absurdamente verdes. Óhhhh, isso é a vida. Altos e baixos; ganhos e perdas; ossos e gorduras; risos e lágrimas. Enfim, compare menos e viva mais, aprecie mais a sua grama (porque ela nasceu para ser só sua e de mais ninguém), passe mais tempo em contato com ela e descubra o porquê ela é tão especial e, provavelmente, mata os vizinhos de inveja, mesmo que você não veja muita graça nela. E para finalizar, só mais...

Read More

2013 + 1

dez 20

2013 + 1

Vai embora não 2013….tô te amando tanto <3. Sempre quando um ano é bom, fico nessa deprezinha de que não queria que o ano acabasse. E em especial 2013….ah, e como foi especial. Foi o ano em que cheguei ao fundo do poço só para pegar impulso e sair do limbo, linda, não tão leve e nada loira. Não conquistei um apê, um intercâmbio, não casei e nem tive filhos. Meus pais estão morando longe e passando por alguns perrengues, assim como minha irmã. Minhas vózinhas estão dodóis, logo, vocês devem imaginar que sou LOUCA em achar que esse foi um bom ano. Sim…sou loucaaaaaaaaaaaah! Comecei o ano em um novo trabalho (promissor) e duas semanas depois estava internada, com úlceras internas, e sem saber ao certo o que tinha. Cogitaram até câncer.  Graças ao CARA (sempre ele, minha família e o MEU cara), o médico certo apareceu na minha vida e me curei. Só que tive que sair do emprego, mas não perdi a fé. Fiquei morando com meus pais (que cuidaram do bebê) e não é que pouco tempo depois eu já estava trabalhando num lugar melhor ainda, me realizando plenamente e (re)conhecendo novos amigos??? Sim, isso é a vida: dar valor a qualquer momento bom, mesmo que precedido por momentos ruins. Além disso, agradeço a Deus por eu ter ficado doentinha na hora certa….na hora em que EU precisava estar ao lado da minha amiga-irmã de alma (e não o contrário). Não pude viver as dores dela ao ter seu bebezinho Lolô internado na UTI por ser prematuro, mas pude ouvir seu choro e chorar junto. E isso me bastou. E isso me fez ter mais fé. E o Lolô saiu dessa e é o bebê dono do meu coração. Também passei por situações semelhantes com duas outras grandes amigas (Jac e Malina) e agradeço a cada uma delas por me permitir viver isso. Amo o Heitor e Fabricio do fundo da alma.  Fora os outros babies que chegaram pra deixar o mundo mais evoluído. Obrigada Ben e Henrique por virem para a Terra. E ainda tem o PH, que nem conheci L E aqui vai um agradecimento especial ao cara que não saiu do meu...

Read More

Peitos são perfeitos

dez 04

Peitos são perfeitos

Pequenas, médias ou grandes. Duras ou moles. Empinadas ou caídas. Cada uma do seu jeitinho, sempre achei que as mamas femininas tivessem a única função de amamentar a possível prole e, por isso mesmo, são lindas de qualquer maneira. Mas os homens não acham isso. Para eles (sem generalizar) as mamas são seios que integram um objeto sexual maior chamado de mulher.  E isso ficou muito mais explícito após assistir à palestra da filósofa e feminista Márcia Tiburi, do blog www.filosofiacinza.com De acordo com a Márcia, o Brasil é o 2º país que mais realiza intervenção de próteses nos seios. Isso mesmo, um país no qual 118 milhões de cidadãos ainda não têm acesso a esgoto tratado, a mulherada está preocupada com os peitos. E não estamos falando em cirurgias reconstrutivas pós-câncer de mama (nesse caso, mais do que digno). Estamos falando de ter peitão pra pegar gatão. Eu acho que cada mulher tem todo o direito de se sentir bela, mas para ela mesma. E isso não significa que todas devem ter os cabelos alisados, pintados de loiro, os pelos descoloridos e os peitos bombando. Cada uma é bela ao seu modo. Esse modo anterior citado é aquele que agrada aos homens, e que nós, do sexo feminino e heterossexuais, estamos adotando desde que “ficamos sabendo” que mulher boa é aquela desejada pelos homens (sim, os mesmos homens que trocam de mulheres boas quando um outra melhor esteticamente aparece).     Deixamos de comer o que nos dá prazer, malhamos sem vontade, transamos mesmo cansadas, gastamos o que não temos, vivemos nos depreciando. Tudo isso para eles, os machos-alfas que durante a história da humanidade criaram um mundo machista no qual a mulher serve para reproduzir.  Mais uma vez não quero generalizar, porque eu mesma tenho um namorado extremamente alinhado ao pensamento feminista e que é o primeiro a concordar que a mulher tem beleza interior. E ponto. Você pode ser saudável,pode usar a roupa que bem entender, pode pintar as unhas cabelo e bigode. Mas, faça isso para se olhar no espelho e dizer:  nossa, esse conteúdo externo realça ainda mais a minha alma. Para finalizar, só quero aqui manifestar o meu apoio e solidariedade às mulheres...

Read More