Existe vida após a Copa?

jul 13

Existe vida após a Copa?

Teve Copa sim. Ah, e como teve! E que Copa, minha gente, que Copa!

Aliás, a Copa 2014 mal acabou  e eu já estou sofrendo em depressão! Não vamos mais programar nossos dias em função dos horários dos jogos. Nem vamos precisar mais buscar restaurantes com TVs.

A Copa acabou e, com ela, a micareta fora de época na Vila Madalena, o mar de turistas na praia de Copacabana e os feriados que não estavam no cronograma. Acabou o excesso de frituras de boteco, cerveja como se fosse água e festa de segunda a segunda!

A Copa…!

A Copa dos goleiros. A Copa das traves. A Copa dos graves erros de arbitragem. A Copa de um artilheiro que ninguém conhecia até… essa Copa.

A Copa dos times pequenos que viraram grandes e dos jogos que não eram para ser interessantes mas ninguém conseguia desgrudar o olho da TV.

A Copa das zebras nos bolões.

A Copa das divas: Claudia Leitte, Jennife Lopes, Shakira, Ivete Sangalo, Gisele Bündchen, holandesas, alemãs, brasileiras, francesas, croatas, argentinas, uruguaias, chilenas, americanas, italianas, inglesas… A Copa dos gringos. E que gringos!!

A Copa de Poldoski, tão brasileiro que a Alemanha foi campeã. Tetra-campeã, aliás! A Copa em que o Brasil foi invadido por argentinos!

A Copa da cordialidade, da festa, da alegria! A Copa da zueira… MUITA zueira!

A Copa da maior goleada em cima da Seleção Brasileira em seus 100 anos de história. A Copa da vergonha dentro de campo, mas do show de bola fora dos gramados. A Copa que mostrou a cara do Brasil pro mundo e que fez o mundo inteiro ter um coração verde e amarelo.

A Copa que fez o Brasil (quase) inteiro torcer para o adversário que o tirou da competição por 7 a 1, só para não ver a Argentina vencer na nossa casa.

A Copa que, com certeza, vai fazer o mundo inteiro entrar em contagem regressiva Rússia 2018!

A Copa que faz com que eu me sinta privilegiada de ter vivido esse momento da história do nosso país e do futebol mundial. Afinal, essa foi a Copa das Copas; foi a Copa no Brasil e do Brasil.

Desculpem o clichê, mas essa Copa foi abençoada por Deus e bonita por natureza. Então, só nos resta agradecer.

Muito obrigada, mundo! Vocês vieram e foram incríveis. E são muito bem-vindos para voltarem sempre! <3

Talita Camargo, 28 anos, é jornalista e está sempre conectada. Apaixonada por livros e cinema, vive para viajar o mundo e adora carboidratos. Libriana, sofre com o conflito da dúvida e busca o equilíbrio. Acredita no amor sincero e, para ela, pensamentos positivos atraem coisas positivas. Sempre!
Share Button

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*